Rede de Pesquisa em Governança da Internet, IV Encontro Anual da Rede de Pesquisa em Governança da Internet

Tamanho da fonte: 
Melhorando Resultados de Saúde Utilizando a Internet: Considerações Sobre a Facilitação da Compra de Medicamentos Online e a Importação Pessoal de Medicamentos
Mark William Datysgeld

Última alteração: 2021-08-29

Resumo


A ausência de uma abordagem harmonizada para normas, regulamentos e leis de saúde resulta em um ambiente desigual, no qual o acesso a um padrão aceitável de tratamento varia muito. Com o considerável efeito de disrupção gerado pela Internet em diversas atividades econômicas, é notável que no caso do acesso aos serviços de saúde e, mais especificamente, aos medicamentos, viu-se apenas mudanças modestas. Estima-se que 8 milhões de pessoas morrem a cada ano de causas evitáveis, um número que corresponde aproximadamente a uma em cada seis mortes no mundo, afetando os países em desenvolvimento de modo desproporcional. A saúde é tradicionalmente um campo altamente regulamentado devido aos impactos potenciais decorrentes de sua prática inadequada. Consequentemente, a maioria das nações tem controles rígidos para restringir a comercialização de drogas ilícitas, bem como para reduzir a circulação de medicamentos abaixo do padrão, falsificados ou não registrados. Embora essas medidas ajudem na manutenção da saúde e segurança públicas, há outras considerações a ser feitas, levando em conta estratégias emergentes para aumentar o acesso a medicamentos seguros adquiridos online, potencialmente de outros territórios onde os custos são mais baixos devido a estratégias de proteção de preços e vantagens comparativas. Questionamos então: como os interesses dos atores do setor de saúde e dos atores do ecossistema de Governança da Internet (GI) podem ser melhor alinhados com o objetivo de avançar normas e políticas que tragam melhores resultados para a saúde dos pacientes, gerando maior acesso a medicamentos?


Palavras-chave


Governança da Internet; ICANN; Health Policy and Systems Research; Internet Governance Forum; Saúde online